26 novembro 2014

O fantasma da ópera

Posted by Blog Café Contexto On 17:07 1 comment

 “O Fantasma da Ópera sempre existiu,
 não é produto de imaginação. 
Existiu em carne e osso, embora com todas 
as características de um fantasma”.

A história do Fantasma da ópera foi adaptada para os nossos trabalhos literários do 9º ano. Foram produzidas peças teatrais, uma releitura em sala, uma história em quadrinhos e dois vídeos que recontam a narrativa através de uma sátira. Os trabalhos, no entanto, ainda que diversificados, não perderam a graciosidade e a essência do texto original. O fantasma Erick, que vive no subterrâneo de uma ópera em Paris, tem enorme obsessão pela bailarina e também cantora , Christine Daeé, que acredita ser guiada pelo "anjo da música". A personagem, que protagoniza um triângulo amoroso na narrativa, sobe ao palco após substituir Carlotta, a diva do espetáculo. Christine ganha notoriedade desde a sua primeira atuação, o que desperta real fascínio no patrocinador do teatro, Visconde Raoul de Chagny.

   Logo, Christine percebe que o seu "Anjo da Música" é, na verdade, o Fantasma que aterroriza a ópera. O Fantasma é fisicamente deformado, razão pela qual usa uma máscara branca, cobrindo-lhe o rosto. Ao reconhecer a verdadeira imagem de Erik, ela entra em choque, e Erik decide prendê-la no seu mundo, no subterrâneo da ópera. Christine enfrenta uma luta interna entre o seu amor por Raoul e a sua fascinação pelo gênio da personagem do Fantasma, e decide se casar com Raoul em segredo e fugir de Paris e do alcance do Fantasma. No entanto, o seu plano é descoberto e, durante uma atuação da Ópera Fausto de Charles Gounod, é raptada do palco e levada para os labirintos da Ópera.
      Entretanto, é nos aposentos de Erik que ocorre o confronto final . O Visconde tenta salvar Christine com a ajuda do Persa, através dos subterrâneos da Ópera, passando pela câmara dos súplicios, e onde Christine está sendo forçada a fazer uma escolha  entre Erik e Raoul. Christine escolhe Erik, com o intuito de salvar a vida das pessoas da Ópera, dizendo ao fantasma que concordará em ser sua esposa se ele libertar o Persa e Raoul. Erik leva o Persa de volta para sua casa, mas mantém Raoul como refém e o encarcera no local mais longínquo dos subterrâneos da Ópera.

      Quando Erik retorna para Christine, ela o está esperando como sua noiva. Ele, então, se atreve a dar-lhe um beijo na testa, o qual ela aceita sem rejeitá-lo ou demonstrar horror. Esse ato simples traz a Erik uma alegria verdadeira, já que,  pela primeira vez na vida, foi tratado como uma pessoa comum. É nesse momento que Erik muda de ideia, libertando a moça para se casar com Raoul. A única coisa que ele pede é que, quando morresse, fosse enterrado junto com o anel que lhe deu de presente.

      A narrativa pode ser considerada gótica, por envolver romance, mistério e tragédia, em uma longa extensão que consegue, até hoje, depois de muito tempo, chamar a atenção do público leitor. A obra mantém intertextualidade com outros gêneros e é no musical da Broadway, na história de uma bela soprano, Christine Daaé, que ela encontra a mais expressiva e misteriosa obsessão de um gênio musical conhecido como "O Fantasma da Ópera", já que ninguém o vê nem sabe quem é. Gaston Leroux soube bem narrar a história de uma maneira envolvente que nos faz questionar o que, na verdade, pertence ao plano fictício e o que consiste no plano real. Com diferentes interseções, as histórias se cruzam. A beleza está entre o mundo possível e o mundo irreal. Confira!


                                                 Bom trabalho! Professora Marília Mendes.



Referência bibliográfica:

LEROUX, Gaston. Adap. PATRIOTA, Margarida. O Fantasma da Ópera . Rio de Janeiro: FTD, 2005.

















1 comentários :

Professora Marília,
vou usar com meus alunos. Obrigada.
Profa. Auxiliadora.

Postar um comentário

O Café Contexto agradece a sua visita!

Café Expresso