19 janeiro 2012

PelA inteRNET

Posted by Blog Café Contexto On 21:43 1 comment

A música "Pela Internet" de Gilberto Gil  faz referências entre o discurso do enunciador 
( quem diz) e do enunciatário 
( para quem diz )  no espaço virtual, ao mesmo tempo que faz analogia ao primeiro samba gravado no Brasil em 1917 (Pelo Telefone) de Donga. 

Na referência às tecnologias e diferentes linguagens da modernidade, cabe o emprego de estrangeirismos como web site, e-mail, hacker, etc., no mesmo contexto das palavras tipicamente brasileiras em um vocabulário, inicialmente, reportado das variações linguísticas do baianês: orixá, oriki, etc. Um misto cultural possível e relevante na letra, considerando a origem do compositor e a funcionalidade dos recursos midiáticos que ele explora enquanto músico, político e compositor .

A letra explora a necessidade e mesmo a facilidade com que os internautas criam suas redes e compartilham-nas em linguagens cada vez mais simplificadas e com efeito prático.
Elementos tropicais aparecem no verso na mesma proporção dos vocábulos da língua inglesa, o que confirma a relação de pertinência entre diferentes culturas no hipertexto. Observe os versos seguintes:

"Que leve um oriki
Do meu velho orixá
Ao porto de um disquete
De um micro em Taipé..."

O termos, além da indicação do poder de navegar na rede, exploram de forma explícita, a inserção do povo brasileiro nas mídias socias de forma inerente. Algumas expressões que compõem a letra estão disponíveis no Wikipedia:
 
Orixá: divindade de religiões afro-brasileiras; guia religioso.

Connecticut: é um dos 50 estados dos Estados Unidos da América, localizado na Região da Nova Inglaterra. O Connecticut é o terceiro menor Estado americano em extensão territorial.

Gigabyte: Um byte é um dos tipos de dados integrais em computação. É usado com frequência para especificar o tamanho ou quantidade da memória ou da capacidade de armazenamento de um computador, independentemente do tipo de dados lá armazenados.
Gigabyte (GB)
1 024 MB
1 048 576 kB
1 073 741 824 (230) Bytes
8 589 934 592 Bits

O aspecto da intertextualidade permeia a letra do compositor no verso "Com quantos gigabytes se faz uma jangada", correlacionado ao ditado popular : "com quantos paus se faz uma canoa". 
Pela internet é uma composição que reflete a fluência dos textos criados  no mundo cibernético e, ao mesmo tempo, elucida o poder que a internet dispõe a quem a acessa. Um poder truncado, fragmentado, em que ele deixa claro, no que diz respeito ao acesso de tribos modernas que compartilham banalidade na 
rede, a superficialidade e a ausência do outro, que está ali e não está, mas que, por outro lado, permite a comunicação e uma fascinante quantidade de informações contínuas e renováveis. 

O importante é saber direcionar o acesso e utilizar toda a rede disponível naquilo que  acrescenta conhecimento, pesquisa, atualidades, informação e lazer, sempre de forma que não nos tire a liberdade de um mundo simples, mas de superior fascínio e beleza ao redor, fora da rede, nas relações interpessoais e nos sentimentos que nutrimos, a milhares de gigabytes de paixão e abençoados pelos orixás.

                                                               Professora Marília Mendes

Pela Internet

 
Gilberto Gil

Criar meu web site
Fazer minha home-page
Com quantos gigabytes
Se faz uma jangada
Um barco que veleje …(2x)

Que veleje nesse infomar
Que aproveite a vazante
Da infomaré
 

Que leve um oriki
Do meu velho orixá
Ao pôrto de um disquete
De um micro em Taipé…

Um barco que veleje
Nesse infomar
Que aproveite a vazante
Da infomaré
 

Que leve meu e-mail lá
Até Calcutá
Depois de um hot-link
Num site de Helsinque
Para abastecer
Aihê! Aihê! Aihê!…


Eu quero entrar na rêde
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tiétes
De Connecticut
Eu quero tá na rêde
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tiétes
De Connecticut…

De Connecticut de acessar
O chefe da Mac
 

Milícia de Milão
Um hacker mafioso
Acaba de soltar
Um vírus prá atacar
Programas no Japão…

Eu quero entrar na rêde
Prá contactar
Os lares do Nepal
Os bares do Gabão…

Que o chefe da polícia
Carioca, avisa
Pelo celular
Que lá na praça Onze
Tem um videopôquer
Para se jogar…

Jogar ah! ah! ah!…(4x)

Eu quero entrar na rede
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tiétes
De Connecticut
Eu quero tá na rêde
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tiétes
De Connecticut…

De Connecticut de acessar
O chefe da Mac
Milícia de Milão
Um hacker mafioso
Acaba de soltar
Um vírus prá atacar
Programas no Japão…

Eu quero entrar na rede
Prá contactar
Os lares do Nepal
Os bares do Gabão…

Que o chefe da polícia
Carioca, avisa
Pelo celular
Que lá na praça Onze
Tem um video-pôquer
Para se jogar…

Ah! ah! ah!
Jogar ah! ah!…(3x)
Connect show! Connect show!
Connect show! Connect show!
Connecticut, Connecticut
Connecticut…


1 comentários :

Professora Marilia,
eu não sei direito descrever o que você coloca de tão expressivo nos textos que escreve. È um orgulho tê-la como amiga. Que essa luz nos olhos e esse sorriso jamais se apaguem.Sou seu amigo, seu teacher e seu fã.
Alisson Moura de Menezes ( Info/Unb )

Postar um comentário

O Café Contexto agradece a sua visita!

Café Expresso