15 maio 2016

Fonética e fonologia

Posted by Blog Café Contexto On 07:27 No comments


Estas questões foram elaboradas para o curso de Letras (3º, 4º e 5º períodos da FIBH).

QUESTÃO 01

Diferenças no espaço



Há também uma série de palavras e construções usadas no Brasil e que, muitas vezes, se consideram erradas e caipiras, mas são exemplos da linguagem mais "correta" do passado. Castilho diz que construções recentemente ouvidas em Cuiabá, como "filha meu não casa", eram utilizadas pelos colonizadores. E quando alguém diz "frecha" e "ingrês" (no lugar de flecha e inglês), acredite, está roçando na língua de Camões!
Ouvir algo que soa estranho é comum em um país com tantas diferenças. Ao falar sobre transformações na linguagem, Maria José de Nóbrega, formadora de professores e elaboradora dos Parâmetros Curriculares Nacionais de 5a a 8a série, resume: "As línguas não mudam apenas no tempo, mas também variam no espaço". Ao estudar variações de origem socioeconômica, gênero, faixa etária, nível de escolaridade e região, é possível perceber esse dinamismo.

Cada grupo social é capaz de modificar o falar e o escrever, mas em geral, a população mais jovem é disparadora das mudanças. Maria José afirma que faz parte do papel da juventude se diferenciar, romper padrões e testar novidades. Professor de 8a série da Escola Internacional de Alphaville, em Barueri, na Grande São Paulo, José Eduardo Sena se surpreende com as gírias que os alunos trazem do universo da informática: "Na sala de aula, temos o privilégio de ouvir inovações linguísticas em primeira mão".
Até regras sintáticas sofrem alterações. É comum ouvir frases em forma de tópicos e não mais organizadas no padrão sujeito e predicado. Começa-se a frase com um assunto e depois passa-se para a ação - "A casa, roubaram os portões dela" é uma fala que já chamou a atenção dos especialistas, mas ainda não chegou às gramáticas.

Disponível em <http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/>Acesso em 25/03/2016. Adaptado.

Nesse contexto, avalie as asserções a seguir e a relação proposta entre elas.



I. "As línguas não mudam apenas no tempo, mas também variam no espaço".

PORQUE

II. As variações de origem socioeconômica, gênero, faixa etária, nível de escolaridade e região comprovam quão dinâmica é a língua portuguesa.



A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.



A. As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da I.

B. As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da I.

C. A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

D. A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

E. As asserções I e II são proposições falsas.



QUESTÃO 02

Os vocábulos pequenino e drama apresentam, respectivamente:

a) 4 e 2 fonemas
b) 9 e 5 fonemas
c) 8 e 5 fonemas
d) 7 e 7 fonemas
e) 8 e 4 fonemas

QUESTÃO 03

O “I” não é semivogal em:

a) Papai
b) Azuis
c) Médio
d) Rainha
e) Herói



Leia o texto seguinte para responder as questões 04 e 05.

O zika e o descaso na saúde pública


Com epicentro no Brasil, o vírus ameaça tornar-se epidemia global, uma tragédia que poderia ter sido evitada.

Desde o início do século passado, o Aedes aegypti representa uma grave ameaça à saúde do Brasil. À época, o mosquito era o principal responsável pela transmissão da febre amarela, só controlada após a operação de guerra comandada pelo sanitarista Oswaldo Cruz. O vetor foi erradicado em 1955, mas o relaxamento das medidas de prevenção permitiu o seu retorno poucos anos depois. Em meados dos anos 1980, ele voltaria ao protagonismo ao difundir a dengue pelo território nacional. Desde então, as infrutíferas campanhas governamentais, focadas em apelos à população para eliminar os criadouros domésticos do inseto, jamais conseguiram impedir a repetição de surtos. A fatura de três décadas de descaso é elevada. Em 2015, um novo recorde: 1,6 milhão de infectados por dengue. Polivalente, o mosquito passou a transmitir a febre chikungunya e, agora, encarrega-se de dar carona ao sexagenário, mas ainda pouco conhecido, Zika. Até o momento, o Ministério da Saúde confirmou o diagnóstico de 270 bebês com microcefalia ou malformação do cérebro, seis deles por exposição comprovada ao vírus. Outros 3.448 casos seguem sob investigação. Em estado de alerta, a Organização Mundial de Saúde estima que o zika pode atingir entre 3 milhões e 4 milhões de habitantes das Américas, onde se espalha por vários países. Epicentro da epidemia, o Brasil deve concentrar 1,5 milhão de infectados.




QUESTÃO 04

A relação entre as letras em destaque e seus respectivos segmentos consonantais está correto em



A. transmissão: [z]

B. descaso: [s]

C. casos:[s]

D. Zika: [z]

E. Aedes: [z]





QUESTÃO 05

Dos segmentos consonantais seguintes, apresentam consoantes vibrantes apenas as palavras

A. território- erradicado

B. cérebro- espalha

C. fatura- bebês

D. inseto- dengue

E. passou- surtos



QUESTÃO 06
Indique a forma ortográfica de cada uma das palavras que se seguem.


a)['pasu]
b)['kaRu]

c) [pa'pɛ w]

d) ['sabi


Professora Marília Mendes
Mestre em Linguística Aplicada pela UFMG
Especialista em leitura e produção de texto pela UFMG
Professora Mestra de Comunicação Empresarial, Fonética e fonologia,

0 comentários :

Postar um comentário

O Café Contexto agradece a sua visita!

Café Expresso