17 fevereiro 2011

CENTENÁRIO DE BISHOP

Posted by Blog Café Contexto On 20:00 No comments

Entre meus poemas preferidos, eis que encontro alguns de uma edição, esgotada no Brasil, da poetisa americana Elizabethy Bishop ( 1911-1979). Foram enviados por e-mail por um poeta mineiro que tem apenas 18 anos, Marcos Paulo Albuquerque.
«all her poems have written underneath, I have seen it" ou seja,
«todos os seus poemas, como percebi, têm uma segunda escrita». ( Jarrel )

  Uma fotografia da literatura feminina imigrando na fase modernista com a mesma autoridade de mulheres como Cecília Meirelles e Clarice Lispector. O que, de fato, elas têm em comum ? A dúvida feminina ou o sentimento à entrega desmedida?. São mulheres que se destacaram pela delicadeza de poemas em que assumem verdadeiros sentimentos, confissões sem nenhum receio diante do estigma  daquelas que relataram suas perdas, seus amores e suas desilusões. Mas chamam a atenção pela genialidade faceira da mulher do século XX, o mais revolucionário nas artes gráficas, intuitivo para a contemplação de versos livres, com temas livres, sem a presunção assistida do Parnasianismo.
( Marília Mendes )

Uma Arte

"A arte de perder não é nenhum mistério
tantas coisas contém em si o acidente
de perdê-las, que perder não é nada sério.
Perca um pouco a cada dia. Aceite austero,
a chave perdida, a hora gasta bestamente.
A arte de perder não é nenhum mistério.
Depois perca mais rápido, com mais critério:
lugares, nomes, a escala subsequente
da viagem não feita. Nada disso é sério... "

Outro poema pouco divulgado da poetisa que se tornou um dos grandes títulos para o centenário :




Argument


  "Days that cannot bring you near
or will not,
Distance trying to appear
something more obstinate,
argue argue argue with me
endlessly
neither proving you less wanted nor less dear.

Distance: Remember all that land
beneath the plane;
that coastline
of dim beaches deep in sand
stretching indistinguishably
all the way,
all the way to where my reasons end?"
São 100 anos comemorados aqui no Brasil sem muito glamour, embora sua obra tenha sido capaz de reunir grandes romances.Somente lendo alguns dos seus poemas para se chegar à integração.Uma boa dica que dou aos amantes de Poesia. Guarde o nome Bishop e boa leitura! Marília



0 comentários :

Postar um comentário

O Café Contexto agradece a sua visita!

Café Expresso