14 novembro 2015

Formação de Palavras e Variação linguística

Posted by Blog Café Contexto On 10:08 No comments

Esta atividade foi aplicada para a minha turma de 1º ano/novembro de 2015 (com a exceção da questão do ENEM 2015, as questões seguintes pertencem ao meu banco de questões e foram elaboradas por mim.)

TEXTO 01
Palavras jogadas fora
Mário Eduardo Viaro
Quando criança, convivia no interior de São Paulo com o curioso verbo pinchar e ainda o ouço por lá esporadicamente. O sentido da palavra é o de "jogar fora" (pincha fora essa porcaria) ou "mandar embora" (pincha esse fulano daqui). Teria sido uma das muitas palavras que ouvi menos na capital do Estado e, por conseguinte, deixei de usar. Quando indago às pessoas se conhecem esse verbo, comumente escuto respostas como "minha avó fala isso". Aparentemente, para muitos falantes, esse verbo é algo do passado, que deixará de existir tão logo essa geração antiga morrer.
"Tradição" vem do latim traditio, por sua vez, do particípio traditus, associado ao verbo tradere, que se dizia, no latim antigo, transdere, formado do prefixo trans- (para o outro lado, para além) e do verbo dare (dar) com mudança vocálica apofônica: "tradição", etimologicamente, é o ato de entregar, de passar adiante, de transmitir (sobretudo valores culturais).
As palavras são, em sua grande maioria, resultados de uma tradição: elas já estavam lá antes de nascermos. O rompimento da tradição de uma palavra equivale à sua extinção. A gramática normativa muitas vezes colabora criando preconceitos, mas o fator mais forte que motiva os falantes a extinguirem uma palavra é associar a palavra, influenciados direta ou indiretamente pela visão normativa, a um grupo que julga não ser o seu. O pinchar, associado ao ambiente rural, onde há pouca escolaridade e refinamento citadino, está fadado à extinção?
É louvável que nos preocupemos com a extinção de ararinhas-azuis ou dos micos-leão-dourados, mas a extinção de uma palavra não promove nenhuma comoção, como não nos comovemos com a extinção de insetos, a não ser dos extraordinariamente belos. Pelo contrário, muitas vezes a extinção das palavras é incentivada.
Disponível em <http://revistalingua.com.br/textos/77/palavras-jogadas-fora-252588-1.asp> Acesso em 26/10/2015 (adaptado)

QUESTÃO 01 (ENEM 2015)
A discussão empreendida sobre o (des)uso do verbo “pinchar”nos traz uma reflexão sobre a linguagem e seus usos, a partir da qual compreende-se que
(a) as palavras esquecidas pelos falantes devem ser descartadas dos dicionários, conforme sugere o título.
(b) o cuidado com espécies animais em extinção é mais urgente do que a preservação de palavras.
(c) o abandono de determinados vocábulos está associado a preconceitos socioculturais.
(d) as gerações têm a tradição de perpetuar o inventário de uma língua.
(e) o mundo contemporâneo exige a inovação do vocábulo das línguas.

b) Justifique sua resposta, tomando como base para a argumentação o trecho abaixo
É o esteio dos julgamentos parciais que proliferam nas 
gramáticas normativas. Assim, antes de propormos 
uma triste Endlösung (aniquilação) normativa das formas 
que não são correntes, convencionais e conhecidas pela
 mentalidade mediana dos falantes, devíamos preservar 
ao menos uma palavra que nossos pais e avós usavam, 
 usando-a também. Isso também é preservar a diversidade do meio ambiente.
(Mário Eduardo Viaro é professor de língua portuguesa
 na USP e autor dos livros Por Trás das Palavras (Globo: 2004)
 e Etimologia (Contexto: 2011)

QUESTÃO 02
Nos itens abaixo, no que concerne aos processos de formação, todas as palavras foram corretamente classificadas, exceto em
(a) o sentido da palavra é o de "jogar fora" (pincha fora essa porcaria) ou "mandar EMBORA" (pincha esse fulano daqui).. (composição por aglutinação)
(b) o ROMPIMENTO da tradição de uma palavra equivale à sua extinção. (sufixação)
(c) o fator mais forte que motiva os falantes a extinguirem uma palavra é ASSOCIAR a palavra,.(Parassíntese)
(d) influenciados direta ou INDIRETAMENTE pela visão normativa, a um grupo que julga não ser o seu.(Derivação prefixal e sufixal)
(e) O pinchar, associado ao ambiente rural, onde há pouca escolaridade e REFINAMENTO citadino, está fadado à extinção? (Prefixação)
QUESTÃO 03
De acordo com o autor do texto 01, o sentido da palavra pinchar é o de "jogar fora" (pincha fora essa porcaria) ou "mandar embora" (pincha esse fulano daqui). No que diz respeito à formação do vocábulo PORCARIA, marque a palavra abaixo que não apresenta o mesmo sentido do afixo -ARIA
a) doçaria
b) prataria
c) cacaria
d) pancadaria
e) pedraria
QUESTÃO 04
 
TEXTO 02
http://pt.slideshare.net/clauheloisa/processos-de-formao-de-palavras



a) Observando a charge acima, é possível identificar a formação de uma nova palavra, constituída a partir de diferentes radicais. IDENTIFIQUE a palavra e EXPLIQUE qual é o processo que resultou na nova formação.
b) A partir do vocábulo TERRA, forme uma nova palavra pelo processo de PARASSÍNTESE.

 
TEXTO 04
ttp://www.propagandashistoricas.com.br

A ALVURA QUE SÓ OMO DÁ- Torna o sabão antiquado. É miraculosa a potência de limpeza de OMO. É que OMO penetra fundo no tecido, lava fio por fio. Você não precisa esfregar tanto. E enxaguando uma só vez, tôda sujidade fica na água. OMO lava, quara, alveja e dá brilho numa só operação. Tôda sua roupa terá uma alvura jamais conseguida com sabão. Faça esta prova! Lave com OMO sua roupa já lavada com sabão.Veja como fica muito mais alva, muito mais limpa.USE OMO. O milagre azul usado em todo o mundo pelas donas de casa modernas!

A campanha publicitária acima é do sabão OMO, veiculada em revistas nos anos 50.
a) Quais são os aspectos empregados no anúncio que comprovam que ele não é atual? Cite 02 aspectos.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
b) Em relação ao Texto 04, SÓ NÃO podemos afirmar que
( ) “alvura” e “sujidade” são formados pelo mesmo processo.
( ) a palavra sujidade já deixou de existir.
( ) O anúncio transmite ao leitor a ideia de que OMO é mais que um sabão.
( ) as palavras lavanderia, quaradouro e alvejaria são derivadas de lavar, quarar e alvejar, respectivamente.
( ) ensaboar é parassíntese de sabão.
QUESTÃO 06
O conceito de neologia aplica-se a todos os fenômenos novos 
que atingem uma língua. No nível lexical, referia-se, inicialmente,
 à criação de uma nova unidade lexical ou ao empréstimo de 
uma unidade pertencente a um outro idioma. Com a implantação 
de políticas de planejamento linguístico em vários países 
ou comunidades linguísticas, esse conceito foi adquirindo 
novos matizes, passando a estabelecer relações muito estreitas com
 a Terminologia. Desse modo, o conceito de neologia, antes restrito
 à língua geral, passou a ser aplicado também às línguas 
de especialidade. (ALVES, 1996, p.11-16)

No que diz respeito ao conceito de Neologia apresentado e considerando os vocábulos em destaque, APRESENTE uma justificativa para o uso destas formas neológicas no contexto em que foram empregadas.
a) Dilma se beneficiou eleitoralmente com 'PEDALADAS fiscais',
 diz Julio. O procurador lembrou que a Lei de 
Responsabilidade Fiscal tem preocupação específica com o
 ano eleitoral porque foi criada para acabar com a "farra" de 
gastos públicos. (01/09/15)
b) Mas, não, essa foi a rodada para falar de um outro jogo, que teve seis gols: cinco da Chapecoense e um do Palmeiras. Supergoleada. Mas os gols ficaram em segundo plano. ¨DESEXPULSAR. Não, esse verbo não está no dicionário. Na verdade é uma palavra que nem existe. Mas, no domingo (4), não é que ela foi usada no Brasileirão? (05/10/15)

0 comentários :

Postar um comentário

O Café Contexto agradece a sua visita!

Café Expresso